domingo, 30 de junho de 2013

Neurotransmissores: Dopamina

Olá, hoje o assunto é a dopamina, um neurotransmissor estimulante do sistema nervoso central (SNC).

A dopamina faz parte da família das catecolaminas, assim como a epinefrina e a norepinefrina. Ela age como neurotransmissor em diversas vias, sendo uma delas essencial para o comportamento estimulado por recompensa.

Fora do SNC, a dopamina funciona como hormônio, liberado pelo hipotálamo, e age como vasodilatador, aumentando a excreção de sódio, reduzindo a produção de insulina, reduzindo a motilidade intestinal e reduzindo a atividade de linfócitos.

Vias Dopaminérgicas

Existem oito vias dopaminérgicas, vias de transmissão da dopamina de uma região do cérebro para outra, mas as quatro principais são:

- Via mesolímbica: transmite dopamina da área tegmental ventral (VTA) para o sistema límbico por meio do nucleus accumbens (aquele discutido no post sobre a Tammy Jung), está relacionada ao sistema de recompensa e à memória;

- Via mesocortical: transmite dopamina da ára tegmental ventral para o córtex frontal, a hiperatividade dessa via está relacionada a alucinações e delírios psicóticos;

- Via nigro-estriatal: transmite dopamina da substantia nigra (do latim, recebe esse nome devido a alta pigmentação dos neurônios produtores de dopamina devido ao acúmulo de melanina) para o striatum, essa via está relacionada ao controle motor;

- Via tuberoinfundibular: transmite dopamina do hipotálamo para a glândula pituitária, influencia a secreção de alguns hormônios.

Síntese

As catecolaminas são sintetizadas por uma mesma via, a partir do aminoácido L-Tirosina.

Receptores

Em mamíferos, foram encontrados cinco subtipos de receptores de dopamina (D1 a D5). Todos eles funcionam, como a maioria dos receptores de serotonina, associados à proteína G, cujo mecanismo já foi explicado no post sobre serotonina. D1 e D2 são os principais receptores, os outros são separados em famílias por se parecerem com um desses dois.

Os receptores de dopamina são normalmente estáveis, mas mudanças agudas nos níveis de dopamina podem aumentar ou diminuir as suas concentrações. Antipsicóticos e diversas drogas estimulantes agem nos receptores dopaminérgicos e podem afetar suas regulações.

Em geral, estimulantes como cocaína, nicotina, metanfetamina e anfetamina causam uma redução da concentração de receptores, causando uma diminuição no prazer derivado de situações comuns, que não envolvam o uso desses estimulantes.  Enquanto isso, antipsicóticos tendem a causar um aumento na concentração ou na afinidade dos receptores pela dopamina, o que, na via nigro-estriatal, pode resultar em cinesia tardia e parkinsonismo (tremores, tiques e movimentos involuntários).

Psicose

A transmissão anormalmente alta de dopamina é uma das hipóteses de causas para as psicoses, das quais a mais comum é a esquizofrenia. Para saber mais, leias os posts, já publicados neste blog, sobre esquizofrenia.

Causas: http://oneurotransmissor.blogspot.com.br/2013/05/patologias-causas-esquizofrenia.html
e
Tratamentos: http://oneurotransmissor.blogspot.com.br/2013/05/patologias-tratamentos-esquizofrenia.html

Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma condição degenerativa que causa tremores e comprometimento motor. Ela é causada pela perda de neurônios secretores, e consequente redução nos níveis, de dopamina na via nigro-estriatal.

Bibliografia

http://thebrain.mcgill.ca/flash/a/a_03/a_03_cl/a_03_cl_que/a_03_cl_que.html

http://www.news-medical.net/health/What-is-Dopamine.aspx

http://archneur.jamanetwork.com/article.aspx?articleid=785704

http://www.annualreviews.org/doi/abs/10.1146/annurev.neuro.28.061604.135722

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAQkwAK/antipsicoticos-agentes-neurolepticos

2 comentários:

  1. A dopamina é um neurotransmissor responsável pelo bom humor. Existem alimentos que ajudam na obtenção desta substância

    ResponderExcluir